sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Bem demente!

tomara que eu veja uma mulher na rua e sinta algo realmente impolgante
Ele estava serio, o mais serio que um homem possa estar quando a viu passar do outro lado da rua. Um curtido suspiro queria dizer:
"Essa mulher será minha ruina, e sem ela não viverei em paz!"
A seguiu, comeu os pensamento delas como se fossem aperitivos, ele devorou cada uma das curvas daquele pitoresco corpo esculpido pelos sonhos de adolescente da moça.
Era noite de sexta, seu aniversario, ele nem ligou ... a seguiu até um bar, depois fora atras dela, no banheiro, quando a viu disse-lhe mostrando o penis ereto:
- Sei que voce deseja, vai beija.
Ela horrorizada virou-se, ele a segurou firme pela mãos, ela fingiu gritar, mas não gritou, apenas levantou a saia para ele se deliciar com suas carnes. Depois daquilo ela o mandou embora o esbofetanado com força, coisas de orgasmo. Então enquanto se masturbava a ela, ele pode ouvir pela ultima vez os pensamentos da moça, antes que ela desasaparece :

Um comentário:

Walter Rodrigues disse...

a história prende e a estetica do texto gera estranheza no inicio. escrever com originalidade é transpor o tradicional.

bom final de semana.